Quem é você?... Quem sou eu ...                                                                                         

Professores precisam entrar no mundo da tecnologia para ensinar

Nova geração não quer mais aprender com livros e pesquisas em bibliotecas

A primeira edição da pesquisa TIC Educação, feita pelo Centro de Estudos sobre Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br), do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), revelou que 64% dos professores admitem a defasagem sobre o uso do computador em relação a suas turmas.

O estudo visa identificar o uso dos computadores e da internet nas escolas brasileiras, além de analisar se o conteúdo aprendido se transforma em conhecimento. Para a realização da pesquisa, participaram 1.541 professores, 4.987 alunos, 428 coordenadores pedagógicos e 497 diretores de 497 instituições de ensino da rede pública estadual e municipal.

Um dos desafios para integrar as tecnologias da comunicação e da informação às atividades pedagógicas em sala de aula é o uso do computador, conhecer as suas ferramentas e como funciona. Os professores, hoje, desconfiam do conteúdo oferecido pela internet porque ainda não têm uma boa aproximação com a tecnologia.

A pesquisa revela que os professores, com idades entre 31 e 46 anos ou mais, não são nativos digitais e, por isso, torna-se imprescindível a capacitação do professor. “Os nativos digitais são pessoas que nasceram a partir da década de 80 em uma sociedade rodeada de tecnologia. Muitos docentes ainda não conhecem o potencial de tecnologias ou de recursos tecnológicos que podem usar em sala de aula, seja por falta de capacitação ou de recursos na escola, o que acarreta em aulas ainda moldadas nos métodos tradicionais de ensino”, explica a pedagoga e tutora do Portal Educação, Emileide da Costa.

Segundo informações da pesquisa, quase um terço dos professores acredita mais nos métodos tradicionais de ensino, como o uso de livros, aulas expositivas e até mesmo pesquisas em bibliotecas, ao invés de usarem os recursos tecnológicos da internet, que é considerada o principal meio de comunicação e de relação entre pessoas.


Fonte: Cetic.br/NIC.br

http://www.portaleducacao.com.br/educacao/noticias/42903/professore...

Exibições: 218

Comentar

Você precisa ser um membro de Café pontocom Leite para adicionar comentários!

Entrar em Café pontocom Leite

Comentário de Carlos Rodrigues Cadre em 24 março 2012 às 12:33

Transcrevo a seguir os comentários sobre o mesmo artigo postado no meu mural do FACEBOOK:

Alessandra Bonato Altran :E o mais rápido possível. Fui tutora de um projeto de capacitação de professores para o uso de computador no ensino, e posso dizer que muitos alunos tem mais conhecimento sobre informática do que seus professores... É triste, mas, real.

Leiko Nemoto: Infelizmente tenho que partilhar desta observacao... Dedico grande parte do meu trabalho para modificar este quadro... Sou uma formiguinha que acredita na construcao coletiva de uma educacao publica com qualidade.

Carlos Rodrigues Cadre :Creio que o emprego de novas tecnologias na educação é uma das saídas para este país carente de pessoas capacitadas e mais cultas. Mais importante que o emprego das ferramentas tecnológicas é a formação de pessoas de maneira responsável. Metodologias adequadas de aprendizagem tem que ser difundidas. Pedagogia, Andragogia, Heutagogia devem ser conceitos tão claros aos professores tanto quanto hoje são: transmissão de informação, ensino, avaliação ... Capacitar professores infelizmente não dá votos, enquanto anunciar a compra de milhares de computadores é medida de impacto que politicamente traz mais retorno eleitoreiro. De que adianta a ferramenta se os professores não sabem empregar com a melhor técnica? Alessandra Bonato Altran compartilho com você a mesma preocupação. Leiko Nemoto que grata surpresa em poder conversa novamente com você! Sei de sua luta, das dificuldades e soluções inventivas que praticam na luta diária por uma melhor educação neste país... 

Comentário de Zazá Lee em 24 março 2012 às 8:13

Ave Maria!

Jurássicos, vão demorar para entender!

Comentário de Luciane Heffel de Oliveira em 22 agosto 2011 às 9:28

Muitas vezes sinto uma decepção imensa pela nossa classe, vejo professores desinteressados no dia-a-dia, nos fatos, continuam por ano a fio dando suas aulinhas medíocres que davam há décadas passadas. Alguns sequer sabem ligar um computador.

Mas o que me faz seguir em frente são os professores apaixonados que buscam o novo, que trazem o mundo para dentro da sala de aula ou levam os alunos para o mundo.

Acredito que os professores, mesmo que a passos de tartaruga, estão se atualizando e aos poucos trazendo as TIC's para as escolas.

Comentário de Luiz Carlos Fernandes em 21 agosto 2011 às 21:32
Decepcionante a nossa educação ainda andando a passos de tartaruga se assim posso falar... vou participar de um congresso nos EUA onde já está sendo avaliado a educação em redes sociais...aqui o nosso e-learning (EAD) ainda não explorou todas as ferramentas disponíveis (objetos de apredizagem)... realmente sem incentivo do governo principalmente no salário/valorização dos professores, fica muito difícil vencer esta fase!
Comentário de Carlos Rodrigues Cadre em 21 agosto 2011 às 18:53

Andrea, Daniella, Ely, Regina e demais,

Isaac Roitman, coordenador do Grupo de Trabalho de Educação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, em posicionamente recente, disse:

- "No Brasil, principalmente nos discursos dos políticos nas eleições, a Educação é uma prioridade. Depois de eleitos, geralmente são acometidos de uma amnésia aguda e esquecem-se de tudo o que disseram nos palanques. Essa cultura predominante nas últimas décadas compromete o sonho de darmos a oportunidade de uma Educação de qualidade para todos os brasileiros, e provoca consequências catastróficas, tais como: desigualdade social, manipulação de comportamento, distorções de valores morais e éticos, violência, desrespeito com a natureza, e a ameaça de um grande apagão de capital humano, que comprometem o presente e o futuro de nosso povo.Não colocar a Educação como a prioridade das prioridades é um trágico legado que corremos o risco de deixar para as próximas gerações. Ainda é tempo de recuperarmos o tempo perdido, colocando a agenda da Educação como prioritária e urgente."

Pessoalmente acredito que ainda dá para sair do discurso político para uma prática de desenvolvimento da capacitação contínua de professores. Isso não acontecerá em um governo. Tem que ser constante, independente da bandeira do partido.

Com relação a USP , após 10 anos totalmente estagnada com relação a educação não presencial, já era hora de recuperar o atraso e passar a ser um bom exemplo de modernidade.

A capacitação dos professores deve levar em conta, além do emprego das modernas TIC's, principalmente as metodologias adequadas e entornos virtuais compatíveis com a ecologia de aprendizagem atual.

 [ ]'s, Carlos

Comentário de Ely Joana Belotto em 21 agosto 2011 às 15:28
Oi amigos, gostaria de compartilhar com vocês a experiência que estou vivendo atualmente e que pode representar uma luz no fundo desse túnel. Fui contratada como consultora pela USP para ajudar na área de gestão de projetos de cursos a distância (EAD), administrados pela CTI (Coordenadoria de Tecnologia da Informação da USP). Esses cursos têm mais de 50% de atividades via web, forçando o cursista a interagir com diversos recursos didáticos da TIC. O governo do estado fechou um convênio com três universidades estaduais, USP, UNICAMP e UNESP, para a oferta de cursos de especialização para os mais de 30 mil professores do ensino médio. Atualmente trabalhamos com 12 mil vagas. Acompanho, através da USP, o que acontece com 4 mil desses estudantes. E posso dizer que é espantoso ver como as novas ferramentas são incorporadas no dia a dia do professor. Há também o  curso de Licenciatura em Ciências via web da USP. Esse curso, cujo vestibular é via FUVEST, oferece bônus para professores já atuantes e que desejam se especializar. Interessante observar que a idade média desses alunos é de 45 anos. Além desses, há um curso denominado Ética, Valores e Saúde na Escola (EVS) que atende 300 professores. Em função do sucesso desse curso, e dando continuidade ao assunto, a universidade passa a oferecer também o EVC - Ètica, Valores e Cidadania (EVC) na Escola, agora com vagas para 1.000 alunos.
Comentário de Andrea Borges em 21 agosto 2011 às 15:00
A sociedade mudou, nós mudamos e a educação continua a mesma.
A responsabilidade é de todos. Eu que leciono em escolas estaduais, não tenho acesso a nenhuma ferramenta além do quadro e caneta.
Além disso, quando os governantes distribuem computadores a todos, não capacita os professores para o uso adequado dessas novas tecnologias.
Questão polêmica...
Abs
Comentário de Daniella Caruso Gandra em 21 agosto 2011 às 14:51
Eu acho até que, a maioria dos professores sabe usar as ferramentas do computador, sabem estar inseridos e interagir nos ambientes virtuais; porém, não se sentem seguros para fazer isso por meio de uma mediação para que a aprendizagem do aluno realmente se dê no contexto de sua realidade. Eles sentem dificuldades e medo de não dar conta do recado, mas não ignoram tais conhecimentos. Abs, Carlos!

Café pontocom Leite: Local de aprendizagem social colaborativa e ponto de encontro para prosear, contar causos, fábulas, metáforas, ...

© 2014   Criado por Carlos Rodrigues Cadre.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço